Lifestyle

Neto: Uma experiência em São Paulo

Restaurante Neto SP

Restaurante Neto

Ontem (20.08) fui finalmente conhecer o Neto, restaurante italiano que está presente no aclamado Hotel Four Seasons, inaugurado em outubro de 2018 em São Paulo.

A rede de hotéis de luxo canadense é conhecida pelo alto padrão de serviços e estruturas em suas unidades. Em São Paulo, o hotel foi pensado para receber executivos do mundo inteiro, se distanciando um pouco do clima de resort e férias encontrado em outras unidades da rede. O restaurante Neto é comandado pelo chefe italiano Paolo Lavezzini, que trabalhou por seis anos no Fasano Al Mare, no Rio de Janeiro.

Minhas expectativas sobre o restaurante estavam bem altas, ainda mais já tendo me hospedado em alguns Four Seasons em outros países, e decidi contar para vocês um pouco de como foi essa experiência surpreendente.

Restaurante Neto SP

Bar Caju – o balcão do bar foi desenhado no formato da fruta

O atendimento em todos os setores que tivemos contato, não só apenas do restaurante, é IMPECÁVEL. Desde o momento em que entramos no hotel até irmos embora, todos os funcionários por quem passamos e fomos atendidos foram excelentes e muito simpáticos. Mas falando do restaurante em si, a experiência toda foi inigualável. O menu é uma fusão entre a culinária italiana e brasileira. Por ser um hotel de uma rede internacional, é muito inteligente que tragam, de maneira a seguir a proposta da rede, a essência do país em que se está.

Todos os pratos possuem sabores e ingredientes muito brasileiros, auxiliados pelas técnicas italianas. O couvert, um pão caseiro de fermentação natural, é servido acompanhado de um azeite mineiro eleito um dos melhores do mundo. Eu mesma nem sabia que a produção de azeite no Brasil era tão potente! A cada minuto do atendimento os funcionários demonstravam toda a preocupação do mundo com o nosso bem estar, além de estarem disponíveis em qualquer momento, desde auxiliar o Otávio a tirar o casaco e guardá-lo na chapelaria, até nos ensinarem muito sobre o cenário da culinária brasileira no mundo.

Restaurante Neto SP

Couvert

Restaurante Neto SP

Azeite brasileiro

De entrada pedimos uma lula ao forno, servida com farinha d’água (um tipo de farinha de mandioca) e salada de folhas. Escolhemos também um drink com gin, xarope de banana da terra e eucalipto! O cuidado aos detalhes é tanto, que até o gelo dos drinks foi pensado. O chamado “gelo perfeito” é feito de uma maneira que resulta em um gelo com aparência totalmente translúcida e que leva muito mais tempo para derreter, não prejudicando o sabor das bebidas. Além disso, eles ainda colocaram o logo de restaurante na parte de cima do cubo. É muito capricho!

Restaurante Neto SP

Entradas: lulas ao forno

Restaurante Neto SP

Drink “BRAVO”

Já para os pratos principais, a minha escolha foi um risoto de lagostim com açafrão e poejo e do Otávio foi uma carne de porco desfiada, acompanhada de feijão branco com tomate, torresmos e cubos de banana. O maître da casa nos sugeriu um vinho, também brasileiro, produzido em uma vinícola no interior de São Paulo e classificado dentro dos top 3% do mundo pelo Vivino. Ele mesmo experimentou o vinho antes de nos servir, e ainda contou sobre sua experiência ao visitar a vinícola Guaspari, em Espírito Santo do Pinhal. Aliás, essa vinícola é aberta para visitação e degustação, e eu já estou louca para conhecer!

Restaurante Neto SP

Risoto de lagostim

Restaurante Neto SP

Carne de porco com feijão branco

Restaurante Neto SP

Vinho Guaspari Vale da Pedra

Nossa experiência foi realmente incrível. Para além da comida (que estava deliciosa), a recomendação vai com certeza por conta do atendimento e serviço oferecido. Fomos perfeitamente recepcionados e além de tudo, aprendi muitas coisas sobre o Brasil que eu não tinha nem ideia. É muito importante que as pessoas que frequentam esse hotel, principalmente pela maioria não ser daqui, terem essa experiência maravilhosa e sentir um pouco do acolhimento da nossa cultura.

E para fechar com chave de ouro, eu não poderia deixar de mostrar para vocês o meu look escolhido para esse noite que acabou se tornando muito mais do que eu esperava. Escolhi usar o nosso Vestido Madina, acompanhado de uma bota preta e um lenço na cabeça. O vestido foi perfeito para a ocasião e pareceu ter sido feito para aquele lugar. Contemporâneo com referências clássicas, é muito similar à proposta de decoração do Four Seasons e do Restaurante Neto.

As últimas unidades desse vestido ainda estão disponíveis no nosso site, então corre lá para dar uma olhadinha! Espero que vocês tenham a oportunidade de ir conhecer esse restaurante incrível e vivenciar uma experiência tão linda quanto a minha. As informações sobre o lugar estão aqui embaixo!


Restaurante Neto – Four Seasons São Paulo

Rua Engenheiro Mesquita Sampaio, 820 – Vila São Francisco

Clique aqui para ver os horários e menus

Lifestyle

A receita perfeita para surpreender seus amigos!

Receita de camarão

Quem é que não gosta de se reunir com os amigos? Seja para alguma comemoração especial ou apenas colocar o papo em dia, é sempre bom estar junto as pessoas que gostamos!

Como muitas de vocês já sabem, eu amo tudo que é relacionado com as mais diferentes culturas e os países da Ásia e Oriente Médio. Inspirada nesse universo, eu criei uma receita deliciosa que sempre faz sucesso quando as pessoas provam. Hoje resolvi compartilha-la com vocês, para que possam receber seus amigos, parentes ou amores de uma maneira muito especial!

Vamos lá!


Camarão tailandês no abacaxi

Serve 4 porções

Ingredientes:

– 500g de camarão rosa (grande)

– 1 colher de sopa de ketchup

– 2 colheres de sopa de shoyu

– 5 gotas de molho inglês

– 2 dentes de alho

– 1 colher de sopa de gengibre ralado

– 4 colheres de sopa de óleo de coco

– 1 cebola picada

– 1L de leite de coco

– 1 colher de sopa de curry em pó

– 1 pimenta dedo de moça

– 1 maço de erva cidreira

– 1 ramo de coentro

– 1 maço de capim limão

– 2 paus de canela

– 1 colher de sopa de páprica picante

– 200mL de iogurte natural

– 2 xícaras de arroz

– 2 abacaxis

– 200g de lascas de amêndoas

– sal a gosto

– pimenta do reino a gosto

 

Modo de preparo:

Limpe os camarões e tempere com o ketchup, shoyu, molho inglês, alho, gengibre, sal e pimenta do reino. Faça essa mistura em um bowl e reserve por 20 minutos.

Em uma frigideira ou wok, coloque 3 colheres de óleo de coco e sele os camarões. Reserve. Na mesma frigideira/wok coloque a cebola, o leite de coco, o curry em pó, a pimenta dedo de moça, a erva cidreira, o coentro, capim limão, a canela e a páprica. Mexa e deixe reduzir por aproximadamente 15 minutos. Peneire todo o líquido e retorne para a frigideira. Misture o iogurte natural e os camarões, e deixe cozinhando por 8 minutos.

Deixe o arroz cozido e reserve.

Corte os abacaxis ao meio e retire toda polpa. Lave as cascas e deixe secar. Pique a polpa e reserve. Em uma frigideira, torre as amêndoas em lasca com uma colher de sopa de óleo de coco. Misture com o arroz e 6 colheres de sopa da polpa do abacaxi picada.

Montagem:

Na casca do abacaxi, coloque no fundo o arroz e por cima o molho de camarão. Decore com flores comestíveis e sirva.

Receita de camarão


Espero que vocês gostem e que seus amigos fiquem felizes com a surpresa!

Um beijo, Fê Ávila!

Lifestyle

FA Arte: Renascimento, de Adriana Duque

Adriana Duque - Grazia (Renascimento, 2019)

Adriana Duque – Grazia – Renascimento, 2019 (foto via Zipper Galeria)

A exposição “Renascimento” da artista colombiana Adriana Duque, atualmente na Zipper Galeria em São Paulo, evoca questões que estão relacionadas ao individualismo e a contemporaneidade. Essas obras fazem complemento às de sua última exposição no Brasil, “Inconos”, também realizada na Zipper Galeria em 2014.

A artista, conhecida por seu trabalho fotográfico que está sempre relacionado com a pintura e os elementos que a compõe, voltou ao Brasil com essa exposição em busca de dialogar com as pinturas retratuais renascentistas, trazendo muitas características desse movimento, acompanhada de elementos contemporâneos e técnicas digitais.

Foi no Renascimento (movimento que ocorreu na Europa durante os séculos XIV e XVI) que o homem passou a valorizar cada vez mais as formas humanas e articular essas questões em contraposta ao teocentrismo pregado durante a Idade Média. Um período muito marcado pelo incentivo às ciências, ao estudo do homem, cultura e às artes.

Nas artes, a valorização das formas humanas foi sendo aperfeiçoada. Amparadas pelas referências greco-romanas, o homem começou a ser reproduzido como centro das narrativas, e sempre representado com simetria e perfeição. Com pinturas retratuais, como no quadro “Monalisa” de Leonardo Da Vinci, sempre buscando transmitir a perfeição e beleza do homem em sua forma mais natural e real possível, o retrato de cenas do cotidiano ao invés de cenas e histórias divinas e imaginárias, muitas esculturas e obras literárias também seguindo esse viés, formaram esse conceito do humanismo (ou antropocentrismo), que é uma das características principais do período.

Adriana Duque - Ana (Renascimento, 2019)

Adriana Duque – Ana – Renascimento, 2019 (foto via Zipper Galeria)

Foi também no Renascimento que a moda surgiu! Isso mesmo. Até então, as vestimentas eram apenas usadas como forma de cobrir o corpo, se proteger de fenômenos externos e etc. Pouco se via em relação à acessórios e ornamentos destinados apenas à vaidade. A partir de então, as pessoas começaram a olhar para as roupas de outra forma e foi nesse contexto que a moda realmente surgiu. Como símbolo de diferenciação social, a moda começou a ganhar forma sendo uma ferramenta de separar e definir grupos sociais. A realeza detinha dos mais diversos elementos de destaque, muita pedraria, tecidos diferenciados, cores e modelos cada vez mais elaborados.

Como destaque da época, as golas chamativas (como a reproduzida por Adriana na foto acima) eram muito presentes, silhuetas marcadas e volumosas que se distanciavam da real forma do corpo humano, utilização de muitas jóias e acessórios. Tanto para homens quanto para mulheres da realeza, era importante usar e ser visto com essas roupas, representando seu status e posição social. As roupas, além de terem o papel de cobrir o corpo, passaram a ser uma extensão dele.

Já em relação às outras camadas da sociedade, que não tinham acesso a todos esses elementos, o movimento de reproduzir o que viam na alta sociedade é o que fez com que o mecanismo da moda se sustentasse. A partir do momento que tais peças fossem “copiadas” pela população, a realeza surgia com novas formas, diferentes acessórios e buscava sempre o novo, em visão de se diferenciar do restante da população. E foi assim que a moda foi se construindo. Primeiramente como símbolo de diferenciação social e a busca pelo novo, a sociedade sempre procurava reproduzir, dentro do possível, elementos que os fizessem semelhantes à realeza – em uma busca por se sentirem superiores – e assim, a realeza buscava inovar nas produções para que não ficassem parecidos com a população em geral. E o ciclo, em sua base, continua assim até os dias de hoje.

Adriana Duque - Rosa (Renascimento, 2019)

Adriana Duque – Rosa – Renascimento, 2019 (imagem via Zipper Galeria)

O trabalho de Adriana Duque nessa série, conseguiu transmitir essa distanciação entre os indivíduos. O uso dos fones de ouvido como elementos que remetem às coroas e tiaras usadas na época, além de trazer uma reflexão sobre o uso de elementos contemporâneos na representação de algo inspirado na antiguidade, também traz esse símbolo de isolamento opcional, da perfeição e simetria humana buscada nas obras renascentistas e dessa beleza idealizada, que se estende durante os tempos de diversas maneiras.

Com curadoria de Eder Chiodetto, a exposição fica em cartaz até o dia 31 de agosto com entrada gratuita. Vale muito a pena visitar!


Zipper Galeria

Rua Estados Unidos, 1494 – Jardins, SP

Segunda a Sexta das 10h às 19h / Sábados das 11h às 17h

@zippergaleria

Fashion

5 Motivos para você escolher fazer um vestido exclusivo!

Se você ainda não sabia que aqui na FA nós também fazemos vestidos exclusivos, essa é a hora de descobrir tudo sobre esses projetos! Listamos 5 motivos que fazem esse tipo de trabalho ser tão singular, e os porquês de optar por esse serviço em momentos especiais!

1 – Personalidade

.

Fazer um vestido exclusivo é ter certeza de que seu produto será exatamente do jeito que você imaginou! Todas as ideias que você tem e junto às da estilista, são sempre conversadas e o resultado final é uma peça que, além de única, traduz sua personalidade.

A escolha do modelo, os detalhes, o tecido, a cor… Tudo é levado em consideração para que o produto final fique exatamente do seu jeito. Desde o atendimento privado no atelier até a entrega final, todos os processos são muito mais exclusivos e requerem uma atenção diferenciada em relação aos produtos do varejo.

Seu contato com o produto começa desde o desenho, quando é o momento de colocar no papel todas as ideias que vão ajudar a construir essa peça. A experiência de compra é muito diferente do que o habitual costume de chegar em um loja ou um site e comprar um produto que já está pronto. Com a escolha de produzir uma peça exclusiva, todos os processos que envolvem a confecção dela estão totalmente relacionados à você!

2 – Peça única

.

Como o próprio nome já diz, sua peça vai ser exclusiva. Única.

Feita toda baseada nos seus desejos, em qualquer lugar no mundo, apenas você terá aquele exato produto. Mais do que apenas um vestido diferente e a certeza que não correrá o risco de chegar no seu evento e se deparar com outra pessoa vestindo o mesmo que você, é sobre o sentimento de possuir algo que foi feito especialmente para você.

3 – Acompanhar o processo

.

Acompanhar os processos de produção é uma das coisas mais legais quando se fala em peças exclusivas. Aqui na FA nós trabalhamos com o a moulage, que é um tipo de produção onde as peças são modeladas no próprio corpo. Ou seja, seu vestido vai ter exatamente as suas medidas e o melhor caimento possível no seu corpo.

Para nós é muito importante que as clientes se sintam o mais seguras e confiantes possível durante todo o processo, e para isso são marcados quantos dias de prova forem necessários, e a escolha e aprovação dos tecidos também pode ser feita pessoalmente. É tudo muito cuidadoso e depende de cada pessoa. Já fizemos peças exclusivas à distância e o resultado foi tão satisfatório quanto uma peça que teve um acompanhamento mais presencial. O importante é se sentir à vontade para qualquer coisa.

4 – Valor e experiência

.

Quando falamos em “valor” não estamos nos referindo ao preço. O valor de um produto não é algo tangível. Ele envolve todos os benefícios enxergados pelo cliente em relação aquele produto. A satisfação de ter determinado item, os sentimentos que obter essa peça desperta na pessoa, os motivos que a fazem querer e buscar aquilo, etc.

Em relação a peças exclusivas, o valor agregado à esse tipo de produto se torna ainda mais especial. Para pessoas que valorizam o trabalho artesanal, esse tipo de produto é perfeito. Aqui na FA nós pensamos em tudo. Desde o primeiro encontro até a entrega da peça final, todos esses processos estão inclusos no valor que a cliente agrega ao produto. Buscamos sempre produzir embalagens personalizadas e especiais, tornar todos os momentos de prova e conversas o mais relaxante e descontraídos possível, e fazer de tudo para que a cliente sinta-se valorizada da mesma forma que ela valoriza nosso trabalho.

Toda a experiência de compra também está relacionada à esse valor. São todos os momentos e elementos que fazem parte do processo, do produto e do resultado final que fazem a diferença entre uma compra de um produto pronto e um produto personalizado.

5 – Produtos que você não encontra no mercado

.

Quem nunca passou pela situação de precisar de uma roupa especial para algum evento, experimentar vários modelos diferentes e sentir que nada daquilo realmente agradou?

Ás vezes, mesmo com tantas opções disponíveis no mercado e mesmo tendo procurado em diversos lugares diferentes, não conseguimos encontrar nada que realmente nos agrade. Principalmente para ocasiões especiais, queremos também nos sentir especiais e à vontade com aquilo que estamos vestindo. E é aí que a opção de fazer um vestido exclusivo é perfeita!

Depois de tanto procurar, temos uma ideia do que estamos buscando e do que não queremos de jeito nenhum. A saia de um, a parte de cima de outro, a renda do outro… Tudo o que gostamos separadamente em peças que não nos agradaram totalmente podem se unir e se transformar naquilo que realmente irá nos satisfazer. A vantagem de produzir um exclusivo é que a criatividade é o limite!

E agora que já sabem que atendemos pedidos exclusivos e personalizados no nosso atelier, deixe sua criatividade fluir e vem desenvolver algo especial com a gente!

Fashion, Lifestyle

Por que falar sobre moda sustentável?

(imagem via Pinterest)

Durante esse último mês, criamos conteúdos nas redes sociais abordando alguns temas relacionados à moda sustentável. Mostramos algumas visitas à fornecedores que produzem tecidos sustentáveis, falamos também sobre slow fashion e os propósitos da marca. Hoje vamos nos aprofundar um pouco mais nesse tema e explicar a importância de se pensar sobre isso!

Quando falamos em moda sustentável, normalmente as pessoas pensam em peças mais simples, com tecidos orgânicos e sem muitas cores, e estamos aqui para mostrar que não é só isso. Tudo depende do posicionamento e do alinhamento das marcas. A moda sustentável não se limita apenas às fibras orgânicas ou feitas a partir da reciclagem de outros materiais. Quando falamos em moda sustentável, todo o universo que envole os produtos de moda está envolvido, ou seja, não são só as marcas que praticam essa sustentabilidade, mas os seus consumidores também.

Child Laborer GMB Akash Photojournalist

(Imagem de GMB Akash – Jornalista fotográfico)

Com tantas opções, fazer compras em Nova York é quase uma atração a parte! Entre tantas, segue abaixo uma lista das 10 melhores lojas que você precisa visitar, ou melhor, comprar na cidade.

(imagem via Pinterest)

Quando falamos em moda sustentável, estamos falando de várias ações que podem ser feitas para minimizar os efeitos negativos dessa indústria. Muitas marcas de roupas, em busca de ajudar o meio ambiente e evitar a produção de mais agentes poluentes, vêm trabalhando com produções a base de tecidos sustentáveis, tingimento natural, redução na quantidade de água utilizada durante os processos, uso de materiais orgânicos, diminuição do uso de produtos químicos nas produções… E isso é muito importante. O movimento slow fashion, já explicado nesse post que falamos um pouco sobre o posicionamento e valores da FA Brand, também é muito importante por introduzir no mercado, novas formas de comercializar, consumir e entender os produtos de moda.

Mas a moda sustentável envolve também a sustentabilidade social. Segundo a organização do Fashion Revolution, que é um movimento em prol de mudanças na indústria têxtil, nos últimos 20 anos a sociedade em geral consumiu cerca de 400% a mais de itens de vestuário do que costumava consumir. As pessoas passaram a consumir muito mais e utilizar por muito menos tempo os produtos que compram. Isso também faz parte, inclusive muito importante, da discussão sobre a moda sustentável. Ao consumir em excesso, as empresas se vêem na posição de produzir mais para atender esse consumo. Ao produzir nesse ritmo extremamente acelerado, mais pessoas dentro dessa indústria são submetidas à condições de trabalho desumanas e nada saudáveis. Com tanta produção, mais agentes poluentes são descartados no ambiente diariamente. Com tantos agentes poluentes sendo descartados no ambiente, crescem as taxas de pessoas com doenças dos mais variados tipos, derivadas do contato com tais agentes.

Imagem relacionada

(imagem via Instituto Akatu)

Quando se fala em moda sustentável, além do desenvolvimento, por parte da indústria, de tecnologia e adoção de práticas que agridam cada vez menos o meio ambiente e às pessoas que fazem parte dessa cadeia, os consumidores também têm um papel importante nessa questão. A indústria da moda existe porque todos usamos e consumimos moda. E quando se fala em consumo consciente, não é apenas sobre entender a procedência daquilo que se está comprando. É entender que as roupas que compramos não são descartáveis, e que no momento em que elas não servem mais para uso, acabam se tornando mais lixo acumulado nos aterros sanitários. Muitas vezes essas roupas acabam sendo incineradas, o que gera a liberação de gases poluentes na atmosfera.

O consumo exagerado de roupas, além de não colaborar com uma indústria saudável nos meios de produção, ainda gera cada vez mais lixo e poluição ambiental. Além de mudanças na indústria da moda em geral, a moda sustentável também se trata de uma reeducação na maneira de consumir e da valorização desses produtos.

Pensando nisso, a FA Brand está sempre em busca de apoiar essas iniciativas e evoluir cada vez mais para contribuir com um mercado mais sustentável. Somos a favor de uma moda consciente, transparente e, acima de tudo, com respeito. Como já mostramos para vocês, nossas produções são pequenas e não buscamos incentivar o hiper consumo. Agora estamos em busca de matérias primas e embalagens mais sustentáveis para as próximas coleções. Esperamos que vocês entendam a importância desse movimento e que juntem-se à nós nessa busca por novos hábitos e mudanças que respeitem tanto o meio ambiente, quanto às pessoas.

Beauty, Fashion

3 acessórios de cabelo queridinhos para dar um up naquele look básico

Como usar Grampos e Presilhas no Cabelo

(imagem via Pinterest)

Para dias em que a preguiça ou a falta de tempo reina, lidar com os fios é sempre um desafio. Atendendo às necessidades e dando toques de estilo para dias em que não há tempo de ir ao salão ou mesmo arrumar o cabelo em casa, as marcas têm cada vez mais investido e apostado em acessórios para cabelo.

Aqui seguem algumas inspirações para aqueles dias em que parece impossível lidar com nosso próprio cabelo. Além disso, quando a vontade ou necessidade apela para looks mais básicos, os acessórios de cabelo fazem toda a diferença e dão um up no visual!

1  – Presilhas:

Presilhas de cabelo

(imagens via Pinterest)

Antes usadas apenas para segurar a franja ou fiozionhos indesejados, as presilham ganharam cara nova e agora são o acessório da vez!

De todos os tamanhos, cores, modelos e formatos, as presilhas não deixam seu papel principal de lado, que é a praticidade de prender pequenas quantidades de fios, mas agora não precisam ser neutras e sem graça. Para todos os estilos e ocasiões, os modelos atendem aos mais diferentes gostos.

2 – Scrunchies

Scrunchies

(imagens via Pinterest)

Muito famosos por volta dos anos 80, esses elásticos de cabelo com tecido por fora voltaram com tudo e estão mais estilosos do que nunca!

Assim como em relação às presilhas, os elásticos de cabelo eram muito vistos como sendo algo discreto e quase imperceptível. Com vários truques para escondê-los e mais tecnologia para deixá-los cada vez mais neutros, o jogo virou e agora eles são protagonistas dos seus rabos ou coques do dia a dia.

Para penteados mais despojados, o uso dos scrunchies traz ao look um ar mais casual, e vale brincar com peças mais formais e penteados mais descontruídos para trazer mais informação de moda para suas produções.

3 – Tiaras

Tiaras

(imagens via Pinterest)

Para dias em que prender o cabelo não é uma opção, mas o fios atrapalhando o rosto não são nada agradáveis, as tiaras também atendem aos mais diversos eventos e estilos. Desde uma tiara de pedraria para um casamento ou evento formal (que também pode ser usada em looks básicos como ponto focal), à uma tiara de tecido estampado para looks do dia a dia, vale a pena investir em alguns modelos.

São tantos modelos que é impossível não encontrar um que atenda às suas necessidades!

Fashion, Uncategorized

Somos uma marca slow fashion. Mas afinal, o que esse termo quer dizer?

(imagem via Pinterest)

Hoje publicamos no Instagram, um depoimento contando mais um pouco sobre os propósitos e a história da marca e achamos importante pontuar e explicar mais profundamente sobre o que quisermos dizer. Para entender um pouco sobre os porquês e a importância desse diálogo, precisamos falar um pouco sobre o mercado da moda.

Bem resumidamente, falando sobre o mercado como conhecemos até então, é muito comum, principalmente em cidades grandes como São Paulo, as pessoas irem fazer suas compras em shoppings ou grandes magazines. Por conta da facilidade e variedade de produtos, a maioria de nós está habituado a ir nesses lugares e encontrar o que “precisamos”. Independente das grandes mudanças na forma de consumir em geral, considerando o grande crescimento dos e-commerce e plataformas digitais, os consumidores em geral estão sempre em busca de coisas novas, produtos inovadores, das últimas tendências.

Ao nos pontuarmos como uma marca “slow fashion” entendemos que a maioria das consumidoras não está familiarizada com esse termo, e é por isso que viemos explicar um pouco. Para começar, o termo surgiu como uma alternativa ao sistema do “fast fashion”, que nada mais é do que esse sistema de lançamentos frequentes e grandes volumes de produção.

(imagem via Pinterest)

Com lançamentos quinzenais, ou até mesmo semanais, muitas outras marcas no mundo inteiro começaram a trabalhar seguindo esse modelo, principalmente por perceberem que estava dando certo. Todas as tendências que são vistas nas passarelas das grandes semanas de moda já estão disponíveis para os consumidores em pouquíssimo tempo, os produtos são baratos e normalmente a qualidade desses produtos não é muito alta.

E com esse grande movimento de hiper-consumo, vieram também algumas grandes questões a serem discutidas. Segundo pesquisas, a indústria da moda está entre as mais poluentes do mundo e isso se da muito por conta da quantidade de resíduos descartados no meio ambiente. Sobras de tecidos, água com resíduos de lavagens e tinturas, influência na produção de agrotóxicos para o crescimento acelerado de fibras, e muitos outros fatores contribuem negativamente para suprir a demanda dessas redes de fast fashion.

Além de tudo isso, as produções muitas vezes são feitas em países onde a mão de obra é mais barata e não regularizada, o que consequentemente implica em condições não seguras e saudáveis de trabalho. Enfim. Ao encarar essa realidade e perceber as consequências dessa demanda exagerada de produção mundial, muitas pessoas se viram insatisfeitas com esse movimento e pensaram em formas de, aos poucos, reverter a situação, e é dentre essas formas que surge o modelo de negócio “slow fashion”.

(imagem via Pinterest)

O slow fashion, sendo também um modelo de negócio, é uma alternativa que busca agredir menos o meio ambiente e a sociedade. As marcas que se dizem slow fashion estão preocupadas em produzir moda de uma forma menos acelerada, respeitando todos os processos da cadeia produtiva. Tais processos podem incluir desde o plantio e produção das fibras que serão utilizadas para a fabricação dos tecidos da marca até a produção dessas roupas em si. Aqui na FA, nos preocupamos muito com as relações entre nossos parceiros e a marca.

Desde o começo, buscamos sempre utilizar e valorizar a mão de obra local, pagando um preço justo e oferecendo ambientes saudáveis de trabalho. Compramos tecidos de fornecedores locais, o que nos da a oportunidade de optar por tecidos de produção única e em menor quantidade (que não funciona quando se trata de marcas que trabalham com produção em grande escala), resultando muitas vezes em produtos exclusivos. Prezamos muito pela qualidade do material e mantemos sempre contato direto com esses fornecedores. O design desses produtos também é pensado de maneira que eles poderão ser usados independente das passageiras tendências de moda, sendo mais atemporais e duráveis.

Tudo isso é levado em consideração na hora de precificar os produtos. Ao contrário dessas grandes empresas, com uma produção menor e essa política de pagamentos justos, é claro que como resultado final, não teremos produtos tão baratos quanto os que encontramos nessas grandes magazines. O diferencial está em todo o processo que envolve a produção de cada peça.

Quanto uma camiseta de $14 realmente custa? | Lusco Fusco Eco Fashion

(imagem via Pinterest)

 

Seguindo o exemplo da foto, para que essa camiseta possa custar $14,00 nas lojas, a pessoa responsável por produzi-la ganhou apenas $o,12. Para a loja que está vendendo, a camiseta teve um custo total de $5,67 e o preço final estipulado por ela é mais que o dobro desse valor. Ao se deparar com esses dados, devemos pensar se esses preços são justos, e aí que entramos em um dos pilares da discussão sobre o consumo consciente. De que não se trata apenas de observar o preço final, mas agregar valor àquele produto e entender que todos os processos têm seu custo e valor.

Ao comprar uma peça de roupa, é necessário pensar em todo o valor que envolve aquele produto. Como nesse exemplo feito a partir de uma pesquisa da revista canadense Maclean’s, esses e muitos outros fatores estão diretamente relacionados ao preço que o consumidor final está pagando por aquela única peça. A questão do consumo consciente é muito importante para marcas que trabalham no modelo de slow fashion. É mostrar e incentivar os consumidores a entender o valor de cada peça, entender que a moda não é algo descartável, e que em todo o ciclo de produção, há pessoas por trás disso.

Esperamos que vocês se conectem com essas ideias e entendam o quão importante é, para nós, o respeito às pessoas que fazem parte da nossa cadeia produtiva!

 

 

Beauty, Fashion

Noiva FA na Riviera Maya!

Tenho a honra de compartilhar com vocês algumas das fotos desse casamento incrível que tive o prazer de fazer parte de várias maneiras!!

A noiva da vez foi a Mônica, que é uma grande amiga minha de infância. Nossas mães eram melhores amigas quando adolescentes, e para manter os laços de nossas amizades, nós éramos vizinhas na casa de veraneio em Laguna – SC. Só tenho memórias maravilhosas das minhas férias em Laguna, e a Mônica é claro, está na maior parte dela. Quando ela falou comigo sobre eu fazer o vestido de noiva dela, fiquei muito emocionada. Ter a oportunidade de fazer o vestido de noiva para uma amiga tão especial como ela, é com toda a certeza a realização de um sonho!

No começo deste ano, começamos os planejamentos e esboços do que veio a ser um dos vestidos mais bonitos de noiva que fiz até hoje. A Mônica se casou na Riviera Maya, direto na praia, e por isso, precisamos pensar com cuidado no caimento do vestido, nos tecidos e no modelo apropriado e confortável para esse ambiente.

Desenhar vestidos de noiva é sempre um desafio. São muitas coisas a serem consideradas: o estilo de vestido que a noiva quer e o caimento desse modelo no seu corpo, os tecidos a serem escolhidos, o lugar do casamento, o prazo para entregar a peça, entre muitos outros detalhes. Cada noiva é única e os vestidos de noiva normalmente refletem sua personalidade no dia do casamento.

O vestido da Mônica foi um modelo sereia com um decote V nas costas, todo feito em um tule bordado, que foi pensado para que não ficasse danificado ou atrapalhasse o movimento em cima da areia. Ela optou por não usar o tradicional véu, e a cauda do vestido trouxe esse movimento para a entrada no altar.

É claro que eu e o Otavio estávamos lá para presenciar toda essa magia ao vivo!

É incrível poder ver o resultado final de um trabalho tão delicado e acompanhar de pertinho a felicidade dos noivos e ver como o vestido realmente representa o que a noiva buscava. Para a cerimônia, eu escolhi usar um dos clássicos vestidos FA, que além de ter combinado com o clima da praia, tem uma sofisticação e delicadeza que traduzem bem o que os produtos FA representam.

Vestido Marcela é feito com um chiffon degradê e são utilizados 20m de tecido só para a parte da saia, com esse trabalho plissado que, particularmente é um dos meus favoritos. É um vestido atemporal e elegante, perfeito para ocasiões especiais como essa.

A cerimônia foi realizada durante o dia, na linda praia que foi cenário para essa celebração, e a festa aconteceu durante o final da tarde até a noite. No final de tudo, foi um dia incrível e que com certeza vai ficar na memória de todos que estavam presentes. Foi lindo poder participar tanto como convidada, mas também durante os bastidores e preparações, realizando o pedido do vestido perfeito, que é tão importante nesse grande dia. Obrigada Mônica!

Separamos mais algumas fotos do casamento, e esperamos que vocês gostem e se inspirem!

Desejo sempre muito amor pra vocês Mônica e Marcus!!!! Viva os noivos!!! 😉

Lifestyle, Travel

Os restaurantes queridinhos de Tulum

Seguindo nossa sequência sobre as experiências no México, hoje é dia de falar de comida! Já falamos aqui sobre o restaurante Rosa Negra, que visitamos em Cancún e em Tulum, e hoje é dia de dar mais duas dicas de lugares incríveis para comer, especificamente em Tulum. Vem conferir!

  • ARCA
Arca | Tulum

(imagem via pinterest)

Como também já falamos aqui sobre Tulum ser uma cidade que mostra grandes preocupações com a preservação e manutenção do meio ambiente e da natureza, os lugares que indicamos seguem também esses critérios. Em um lugar onde predominam assuntos como reutilização de materiais, preservação de recursos naturais, respeito à natureza, entre outros,  os estabelecimentos que seguem uma ou mais atitudes em prol desses conceitos valem a pena ser reconhecidos.

O restaurante Arca possui um menu “micro sazonal”, que é planejado de acordo com os alimentos da época de cada temporada. Os pratos são uma representação da natureza ao redor do ambiente, respeitando seu tempo e espaço. Há um grande incentivo para pedidos dos pratos para se compartilhar ao invés dos individuais, sendo uma tradição muito forte na cultura mexicana.

ARCA 1

A comida é deliciosa e as apresentações não deixam a desejar. Respeitando as formas naturais, o restaurante busca mostrar os ingredientes nos pratos sem muitas intervenções. Com um cardápio repleto de frutos do mar, resultado de sua localização próxima à praia, a comida é fresca e natural.

Além de funcionarem como restaurante, o lugar possui um bar e prepara drinks da casa que são uma delícia. Para acompanhar a refeição, possuem uma cartela de vinhos bem completa pensando na harmonização dos pratos a serem servidos.

A atmosfera do lugar também é incrível. Com uma decoração quase toda em madeira, o ambiente do salão é composto por pequenas pedras no chão, que quase parecem areia (trazendo ainda mais essa proximidade com a natureza), muita luz natural durante o dia, e no período da noite, muitas velas utilizadas para iluminação nas mesas.

Para minha noite no Arca, escolhi usar o Vestido Deva, acompanhado de uma sandália da salto grosso e acessórios que remetessem à praia. O Vestido Deva , apesar dos bordados de paetê, possui uma estampa orgânica e uma modelagem que combina muito com jantares ao ar livre. No Arca, as mesas são posicionadas na areia, ao lado de muitas árvores e visão completa do céu, trazendo essa conexão com a natureza e conforto ao saborear os pratos escolhidos.

HARTWOOD

Where to Eat, Stay & Spend Time in Tulum | Damsel In Dior

(imagem via pinterest)

Com uma proposta de lugar muito parecida com a do Arca, o Hartwood também posiciona suas mesas em um ambiente externo com as mesmas pedrinhas no chão. Possui móveis com uma característica mais rústica e traduz bem esse clima de restaurante praiano.

O lugar só funciona no período da noite, servindo jantares, e possui um cardápio diário. Os ingredientes são comprados diariamente nos mercados em Yucatan e os pratos planejados de acordo com o que foi encontrado. O legal disso é perceber que não trabalham com grandes estoques e buscam ter desperdício mínimo com as comidas!

HARTWOOD 1

HARTWOOD 3

HARTWOOD 4

Todos os dias o cardápio é atualizado em uma pequena lousa que fica na entrada do restaurante. Lá eles escrevem à giz todos os pratos do dia e vão apagando conforme os ingredientes vão chegando ao fim! A dica é não chegar muito tarde para ter mais opções de escolhas, mas mesmo quando algumas já foram apagadas, é certeza que as opções que restam são deliciosas. O bar funciona com um cardápio mais tradicional, sem muitas variações diárias e os drinks, como sempre, são ótimos, além de possuírem bastante opções com ingredientes naturais.

A iluminação do espaço, como só funciona à noite, busca transmitir bem a sensação de se estar na praia. Com poucas luzes elétricas (em quantidade menor do que habitualmente vemos em restaurantes no período noturno), o restaurante também utiliza velas como alternativa para economia de energia, além de auxiliarem no clima aconchegante do lugar.

HARTWOOD 6

HARTWOOD 8

HARTWOOD 5

Esses dois restaurantes representam bem o que Tulum simbolizou para mim. Todas as pessoas com quem conversei, todos os lugares que tive oportunidade de conhecer. Tudo gira em torno do respeito à natureza e da preservação. A sustentabilidade, exercida de muitos jeitos diferentes, está sempre presente e é incrível! Preocupação com desperdícios, contato com a natureza de forma respeitosa, economia dos recursos, respeito e valorização do trabalho local… É um ótimo lugar para se inspirar e trazer um pouco dessas preocupações tão importantes para o nosso cotidiano.

O Arca e o Hartwood são restaurantes deliciosos e que trabalham muito bem essas questões. Vale a pena conhecer e se inspirar também!

Fashion, Lifestyle

São Paulo: 4 dicas de lugares para curtir nessa sexta!

São Paulo, como todos já sabem, é a cidade que não dorme! Para aproveitar e curtir toda a agitação que essa cidade oferece, nessa sexta-feira escolhemos falar de 4 lugares que tem tudo a ver com o universo FA e que são ótimos para dar o start no final de semana!

  • TETTO – Rooftop Lounge

(imagem via Facebook TETTO)

Esse bar/restaurante/balada é tudo o que queremos para aproveitar uma noite sem limites! Localizado no rooftop do WZ Hotel Jardins, na avenida Rebouças, o lugar oferece um espaço de balada e um bar.

No bar, a proposta é servir alta gastronomia acompanhada de drinks incríveis. O menu conta com uma variada opção de pratos inspirados na culinária fusion, além de possuir também uma cartela com mais de 50 vinhos. Os drinks são autorais de Jean Ponce, que já foi eleito duas vezes o melhor de sua categoria no Brasil. É imperdível!

Já o TETTO Club, funciona toda quinta-feira com música de qualidade e um ambiente confortável. O interessante desses eventos é o próprio teto, que se move e abre espaço para uma vista incrível da cidade. Além disso, o espaço ainda oferece 10 lounges exclusivos para aqueles que buscam mais privacidade ou realização de eventos privados.

Para curtir toda essa experiência, ainda indicamos também um look que tem tudo a ver com a atmosfera do TETTO. O Vestido Deva é confortável, estiloso e funciona bem para essa transição entre bar e balada. Para aproveitar tanto o Lounge Bar quanto o Club às quintas, o Vestido Deva é sofisticado e ao mesmo tempo divertido! Por ser todo em um chiffon bordado de paetês, possui muito movimento para dançar e brilho para chamar a atenção na pista de dança!


Endereço: Avenida Rebouças, 955

Contato: tetto@tettolounge.com

Facebook: TETTO Rooftop Lounge 

Instagram: @tettolounge


  • Toy Room

(imagem via Facebook Toy Room)

Famosa como “a mais luxuosa das baladas”, a Toy Room possui unidades em várias cidades internacionais como Dubai, Londres, Milão, entre outras. A unidade de São Paulo possui uma exclusividade que é o Toy Sushi, um restaurante localizado no andar debaixo do clube, com uma atmosfera mais intimista comandado por Anderson Haruo, que possui uma estrela Michelin.

Já no andar de cima, a balada tem capacidade para 200 pessoas e predomina o estilo musical de hip hop, muito tocado na rede. No Brasil, as festas variam e de vez em quando ouve-se eletrônico e até funk! A diversão aumenta com a decoração do ambiente, que possui diversos brinquedos infantis, porém em um contexto mais adulto e muito inteligente. Vale a pena ficar de olho na página do Instagram para a programação de festas e temáticas.

Para a Toy, escolhemos uma peça versátil e estilosa para te acompanhar nas festas. O Body Bhadra é perfeito pois pode ser combinado de diversas maneiras, com shorts, saias e calças, funcionando tanto para um jantar no restaurante, quanto para a curtição na balada. Ele é feito em um tecido de lurex com fios dourados, muito moderno e estiloso, sendo a peça chave para esse lugar!


Endereço: Alameda lorena, 1386

Contato: Club (11) 97643-4886 / Restaurante (11) 97638-9933

Facebook: TOY ROOM SP

Instagram: @toyroomsp


  • Restaurante Bagatelle

(imagem via Veja São Paulo)

O Bistrô Bagatelle, original de Nova Iorque, traz a sofisticação de uma alta gastronomia com um clima de balada em um ambiente aconchegante e clássico na capital paulista. O restaurante funciona para brunch e jantar com cardápio que segue a tradicional culinária francesa, com toques brasileiros.

Com uma proposta de promover experiências gastronômicas, o Bagatelle pode ser considerado quase um restaurante balada. Partindo de um jantar comum, a noite se transforma quando DJs são convidados e a música alta rola solta. Com drinks deliciosos preparados no bar, o ambiente se transforma e é comum ver pessoas dançando na frente do bar ao som da música, enquanto outras continuam desfrutando de seus jantares, é bem diferente!

Para curtir esse esquenta e a comida maravilhosa, uma opção perfeita de look é o conjunto da Saia Aditya + Blusa Maia. Esse conjunto é elegante e ao mesmo tempo perfeito para dançar. Com a saia bordada à mão, a sofisticação não tem limites, e o look é perfeito para o lugar. O Bagatelle é conhecido também pelo público que o frequenta. Sempre com a presença de famosos, modelos, empresários e socialites, o conjunto da Saia Aditya + Blusa Maia tem tudo a ver com esse universo.


Endereço: Rua Amuri, 244

Contato: info@bistrobagatelle.com.br

Instagram: @bagatellebr


  • Sutton

(imagem via Facebook Sutton)

O Sutton, originalmente criado em Barcelona, é um dining club que possui um restaurante e organiza festas exclusivas, normalmente ao som de renomados DJs de música eletrônica. O restaurante, Lavianna, é bem exclusivo. Oferece alta gastronomia inspirada na culinária catalã e mediterrânea, e acompanha uma excelente cartela de vinhos e coquetéis.

Já falando da balada em si, ela ocupa um rooftop com vista 360° da cidade, e possui dois bares exclusivos na parte externa. A pista possui um teto com luzes de LED e paredes de vidro, e a música animada se junta com as belas vistas da cidade e a diversão é garantida. Esse é o lugar certo para quem gosta de música eletrônica, e gosta de curtir acompanhado de uma vista linda e bons drinks.

Com uma atmosfera mas cosmopolita e agitada, separamos a Blusa Nayana como sugestão de peça para uma noite no Sutton. A blusa é feita em uma renda guipir preta com foil dourado e pode ser combinada com diversas outras peças e acessórios. Para quem busca dançar muito, estando arrumada e confortável, a Blusa Nayana é a peça perfeita!


Endereço: Avenida Brigadeiro Faria Lima, 4509 – Rooftop

Contato: (11) 94923-1137

Facebook: Sutton São Paulo

Instagram: @suttonsaopaulo